Did you know that Portugal is a fruit name in many languages?

Mar 2017
2,905
703
Matosinhos Portugal
Did you know that Portugal is a fruit name in many languages?

Interestingly, it's really true. Know which one and know the reasons.

And what does the word portugal mean in other languages? Well, as we all already know in English, French, Spanish, Dutch, Swedish and German (among others) “it says” Portugal, in Italian “it says” Portugallo, in polski (Polish) “it says Portugalia, and in Vietnam "it is said" Cộng hòa Bồ Đào Nha. In these languages Portugal one meaning: the name of the country Portugal of course. So far nothing new for this, so I will tell you a little about the history of the orange, the fruit.

Going back a little in time ... in the 16th century, the Portuguese "brought" the sweet orange from India to Portugal and so it was the Portuguese who introduced it to Europe. No wonder that in some cases we come across the label: Portugal, the country of oranges!

For this reason, and oddly enough, oranges are nowadays called Portuguese in some European countries! Yes, it's at least funny. Let's see: in orange Romanian it is said portocálâ, in Bulgarian portokal ', in Greek portokáli and in Turkish portokal. But this association is not limited to the European languages.

In Farsi (Persian), the official language of countries like Iran or Afghanistan and spoken in countries like Armenia, Georgia or Iraq, the word portugal (in Farsi: پرتغال– reads: porteqal) means orange!

In Arabic, a language spoken in about 20 countries (countries like Egypt, Libya, Syria, Algeria, Saudi Arabia, etc.), with approximately 280 million speakers (in all its derivations), the word portugal (in Arabic : برتقال - reads: bortuqal or burtuqálum) also designates the orange fruit.

Where does the name Portugal come from?

Have you ever wondered about the origin of the word Portugal? For those who know a little about the history of our country should also know that the word Portugal, which appears in the tenth century, originates from the Latin Portucale whose remote origin to the century. V.

Everybody knows that Portugal comes from the Portucalense County, which got its name from Portucale, the old name of Porto. But if the original territory included Guimarães - considered by all to be the “cradle of nationality” - and Braga - heir to the Roman Bracara Augusta and whose prelate proudly bears the title of “Primate of the Spaniards” - why both the county and the Kingdom and country sought the name of the small village of Porto and not another supposedly more important nucleus? Let's know more…


Cale and Portus Cale

In the third century of our era, the Roman emperor Diocletian created the province of Galicia which, with the Douro River as its southern limit, included the present northern Portugal, Galicia and part of Asturias.

A few centuries later, the Muslim occupation of the Iberian Peninsula began in 711, which, however, did not translate into a lasting presence in the northernmost peninsular regions. Thus, in 868, a Galician military chief of his name Vímara Peres liberates the region by the mouth of the Douro River from the Muslim domain, founding the Portucalense county, integrated in the Leonese monarchy.

The county of Porto corresponded roughly to Entre-Douro-e-Minho, standing out from Galicia, further north, with the small town of Portucale as its center.

The town that gave the county its name, located a short distance from the mouth of the Douro River, was originally called Cale. But neither the exact location of this place nor the origin of this place name is consensual. The name may come from the Greek "kalós" (meaning "beautiful"), or from the Celtic word meaning "harbor", "cove" or "shelter", or even from Cailleach, the Gaelic mythological figure. Another explanation is that the name derives from the castreja people who inhabited this area in pre-Roman times - the Calaicos or Galaicos -, from which came the name Galécia and, today, Galicia.

In any case, with Romanization, the original name was preceded by Portus, indicating in Latin the port character of the place, namely: Portus Cale.

The Visigoth king Leovigildo and his successors minted coin here with the legend "Portucale". Form that already appears to us as "Portugale" in documents from the seventh to the eighth century.

With the takeover by Vímara Peres, the diocese of Portucale was quickly restored - before that of Braga - perhaps in keeping with the purpose of creating a strong Christian nucleus in the strait of the conquered lands. The population of the place is increased with the contribution of Christians from Coimbra, meanwhile taken over by the Muslims. Segregated from Galicia, Portucale will develop according to its own and local evolution. Shortly thereafter, the territory began to surpass that of its diocese.

“Portucalense land” or just “Portucale”, “Portugale” or Portugal has a wide meaning in the first half of the tenth century, covering all territories south of the Lima river and west of the Tâmega. From the end of the tenth century and with Gonçalo Mendes da Maia - the Lidador -, the Portuguese counties began to use the title of dukes, indicating a greater importance and territorial extension.

Limits that are extended in the second half of the 11th century to the Minho River to the north Vouga, to the south; and the Coa to the east. Despite some separatist streaks, the territory was regrouped in the kingdom of Galicia in 1071, Garcia being renamed “Rex Portugalliae et Galleciae” (king of Portugal and Galicia), soon after absorbed again by the kingdom of León.

From Porto County to the Kingdom of Portugal

The Portucalense County reemerged in 1096 by the hand of Henry of Burgundy as an offer from King Alfonso VI of León for aid in the reconquest of land to the Moors, to whom he should render vassalage, and also received the hand of his daughter, the infanta D. Teresa de León. The "Terra de Portugal" was granted as hereditary dowry of D. Teresa.

Away from the center of the power of the kingdom of Leo, an autonomist spirit develops, with the local knights disinteresting in the Lion Curia and seeking more power and land in the south. For its part, the church is organized around Braga, against the hegemonic pretensions of Toledo and Compostela.

Sharing a common language with Galicia, Portugal is politically autonomous and organized, with Guimarães as court of the counts, Braga as ecclesiastical metropolis, Porto - where the port function erases the second element of the name (Cale) - and Coimbra, bulwark in the fight against south muslim.

The bases of the expanding south country were laid. But Porto will remain forever, as Luís de Camões says, as "the loyal city from which the eternal name of Portugal originated (as it is famous)."


Orange always existed in Portugal or before Portugal existed but it was sour as lemon. But it was we Portuguese who brought the sweet orange from India to Europe


( The Portuguese intruded the potato in India, also introduced Coffee and Sugar in Brazil )
...............................................................
 
  • Like
Reactions: intangible child
Mar 2017
2,905
703
Matosinhos Portugal
In portuguese

Sabia que Portugal é um nome de um fruto em muitas línguas? Curiosamente, é mesmo verdade. Saiba qual e conheça os motivos.

E o que significa a palavra portugal noutras línguas? Bem, como todos já sabemos em inglês, francês, espanhol, neerlandês, sueco e alemão (entre outros) “diz-se” Portugal, em italiano “diz-se” Portugallo, em polski (polaco) “diz-se Portugalia, e no Vietnam “diz-se” Cộng hòa Bồ Đào Nha. Nestas línguas Portugal um significado: o nome do país Portugal como é óbvio. Até aqui nada de novo por isso, então vou-vos contar um pouco sobre a história da laranja, o fruto.

Voltando um pouco atrás no tempo… no séc XVI, os portugueses “trouxeram” a laranja doçe da India para Portugal e, assim foram os portugueses que a introduziram na Europa. Não é toa que em alguns casos deparamo-nos com o rótulo: Portugal, o país das laranjas!

Por este motivo, e por incrível que pareça, hoje em dia as laranjas são denominadas portuguesas em alguns países europeus! Sim, é no mínimo engraçado. Ora vejamos: em romeno laranja diz-se portocálâ, em búlgaro portokal’, em grego portokáli e em turco portokal. Mas esta associação não se fica pelas línguas europeias.

Em farsi (persa), língua oficial de países como o Irão ou o Afeganistão e falado em países como a Arménia, a Geórgia ou o Iraque, a palavra portugal (em farsi: پرتغال– lê-se: porteqal) significa laranja!

Em árabe, uma língua falada em cerca de 20 países (países como o Egipto, Líbia, Síria, Argélia, Arábia Saudita, etc.), com aproximadamente 280 milhões de falantes (em todas as suas derivações), a palavra portugal (em árabe: برتقال – lê-se: bortuqal ou burtuqálum) designa também o fruto laranja.

De onde vem o nome Portugal?

Já alguma vez se questionaram sobre a origem da palavra Portugal? Para quem souber um pouco da história do nosso país deve saber também que a palavra Portugal, que surge no séc X, tem origem no latim portucale cuja origem remota ao séc. V.

Todos sabem que Portugal provém do Condado Portucalense, que foi buscar o nome a Portucale, a antiga designação do Porto. Mas se o território original incluía Guimarães – considerada por todos como o “berço da nacionalidade” – e Braga – herdeira da romana Bracara Augusta e cujo prelado ostenta orgulhosamente o título de “Primaz das Espanhas” –, por que razão tanto o condado como o reino e país foram buscar o nome à pequena povoação portuense e não a outro núcleo supostamente mais importante? Vamos saber mais…

Cale e Portus Cale

No século III da nossa era, o imperador romano Diocleciano criou a província da Galécia que, tendo o rio Douro como limite sul, incluía os actuais Norte de Portugal, Galiza e parte das Astúrias.

Alguns séculos mais tarde, dá-se a ocupação muçulmana da Península Ibérica, iniciada em 711, que, no entanto, não se traduziu numa presença duradoura nas regiões peninsulares mais setentrionais. De tal forma que, em 868, um chefe militar galego de seu nome Vímara Peres liberta a região junto à foz do rio Douro do domínio muçulmano, fundando o condado portucalense, integrado na monarquia leonesa.

O condado portucalense correspondia sensivelmente ao Entre-Douro-e-Minho, destacando-se da Galiza, mais a norte, tendo o pequeno povoado de Portucale como centro.

A povoação que deu nome ao condado, localizada a pouca distância da foz do rio Douro, tinha originalmente a designação de Cale. Mas, nem a localização exacta deste lugar, nem a origem deste topónimo são consensuais. O nome poderá vir do grego “kalós” (que significa “belo”), ou da palavra celta que significa “porto”, “enseada” ou “abrigo”, ou até de Cailleach, figura mitológica gaélica. Outra explicação é a de que o nome deriva dos povos de cultura castreja que habitariam esta área nos tempos pré-romanos – os calaicos ou galaicos –, do qual derivou o nome Galécia e, hoje, Galiza.

Seja como for, com a romanização, o nome original passou a ser precedido de Portus, indicando, em latim, o caráter portuário do local, ou seja: Portus Cale.

O rei visigodo Leovigildo e seus sucessores cunharam aqui moeda com a legenda “Portucale”. Forma que já nos surge como “Portugale” em documentos do século VII para o VIII.

Com a tomada por Vímara Peres, a diocese de Portucale foi rapidamente restaurada – antes da de Braga –, talvez correspondendo ao propósito de criar um núcleo cristão forte na estrema das terras conquistadas. A população do lugar é incrementada com o contributo de cristãos de Coimbra, entretanto retomada pelos muçulmanos. Segregado da Galiza, Portucale vai-se desenvolver segundo uma evolução própria e local. Pouco depois, o território começou a ultrapassar o da sua diocese.

“Terra portucalense” ou apenas “Portucale”, “Portugale” ou Portugal passa a ter uma aceção vasta, já na primeira metade do século X, abrangendo todos os territórios a sul do rio Lima e a oeste do Tâmega. A partir de finais do século X e com Gonçalo Mendes da Maia – o Lidador –, os condes portucalenses passaram a usar o título de duques, indicando uma maior importância e extensão territorial.

Limites que são alargados, na segunda metade do século XI, para o rio Minho, a norte; o Vouga, a sul; e o Coa, a leste. Apesar de alguns laivos separatistas, o território foi reagrupado no reino da Galiza em 1071, passando Garcia a intitular-se “Rex Portugalliae et Galleciae” (rei de Portugal e da Galiza), pouco depois absorvido novamente pelo reino de Leão.

De condado portucalense a reino de Portugal

O Condado Portucalense reemergiu, em 1096 pela mão de Henrique de Borgonha como oferta do rei Afonso VI de Leão pelo auxílio na Reconquista de terras aos mouros, a quem deveria prestar vassalagem, tendo também recebido a mão de sua filha, a infanta D. Teresa de Leão. A “Terra de Portugal” foi concedida como dote hereditário de D. Teresa.

Afastados do centro do poder do reino de Leão, vai-se desenvolvendo um espírito autonomista, com os cavaleiros locais a desinteressarem-se da Cúria de Leão e a ambicionarem mais poder e terras a sul. Por seu lado, a igreja organiza-se em torno de Braga, contra as pretensões hegemónicas de Toledo e de Compostela.

Partilhando uma língua comum com a Galiza, Portugal autonomiza-se politicamente e organiza-se, tendo Guimarães como corte dos condes, Braga como metrópole eclesiástica, o Porto – onde a função portuária apaga o segundo elemento do nome (Cale) – e Coimbra, baluarte na luta contra do sul muçulmano.

Estavam lançadas as bases do país que se expande para sul. Mas o Porto ficará para sempre, como refere Luís de Camões, como «a leal cidade donde teve origem (como é fama) o nome eterno de Portugal».

.............................................



A laranja sempre existiu em Portugal ou antes de Portugal existir mas era azeda como o limao. Mas fomos nós portugueses que troxemos a laranja doce da India para a Europa


( Os portuguêses intruduziu a batata na India,tambem intruduziu o Café e Açucar no Brasil )
 
  • Like
Reactions: intangible child
Feb 2006
15,247
3,684
California
Cool! Thanks didn't know that!

 
Mar 2017
2,905
703
Matosinhos Portugal
A melhor laranja de Portugal é do Algarve - The best orange in Portugal is from the Algarve











Festa da Laranja 6 a 10 Fevereiro todos os anos - Orange Party 6 to 10 February every year.


Muito obrigado pelo link muito interessante. - Many thanks for the very interesting link


Everyone eats Portugal Romanian orange is said to be portocálâ, Bulgarian portokal ', Greek portokáli and Turkish portokal. But this association is not limited to the European languages.

---

Todo mundo come Portugal romeno laranja diz-se portocálâ, em búlgaro portokal’, em grego portokáli e em turco portokal. Mas esta associação não se fica pelas línguas europeias.




-